segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Minha amiga namorou por alguns anos, mas foi para a Itália*. Passou um ano lá, nesse tempo namorou a distância, eles terminaram e quando ela volto ele já estava com outra. Considerando toda a história dos dois antes da viagem e considerando que eles acabaram só por causa da distância o natural seria eles se reencotrarem quando ela voltasse. Seria uma linda história de amor entre tantas. Com várias ídas e vindas, com um oceano os separando mas que no fim a espera seria recompensada com um retorno maravilhoso.

Mas a vida às vezes não imita a arte. E nós ficamos esperando esse reencontro, essa recompensa do destino, essa volta... mesmo quando todos veem que o tempo para isso acontecer já passou. Aí ela acaba conhecendo outro carinha, que todo mundo adora, o oposto do primeiro namorado. Simpático, querido, atencioso... tudo começa do nada, sem paixão. Mas os dois ficam, continuam ficando... tudo dá certo.

Certo até demais. Falta história, falta um pouco de sofrimento, falta saber se na ausência dele ela vai sentir a sua falta. E falta esquecer o outro. Aquele cuja história todo mundo conhece, todos torciam para um final feliz. Só que ela ainda não desistiu desse final, mesmo com tudo e todos esquecendo.



Afinal, o que queremos, nós? Um príncipe encantado que caiu do céu sem que precisássemos mover um fio de cabelo? Ou aquele "complicado e perfeitinho" amor que começa platônico, desenrola cheio de drama, ação, aventura, friozinho na barriga?



Eu vou saber o final dessa história. Será que ela vai se render ao atual e querido ficante? Ou vai continuar tentando e tentando em uma história que talvez já teve seu fim? Fácil e olhar de fora, difícil é viver a história (acho que já disse isso antes). Vamos ver o que os próximos capítulos dessa história vai nos ensinar.



*O lugar da viagem foi mudado para preservar a identidade da amiga em questão. uehueheuh

2 comentários:

betanedel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
betanedel disse...

Perguntas sem respostas...
O que queremos?
Na verdade, alguém que nos ame...
O príncipe ama de um jeito...
O complicado de outro...
Cabe a nós decidirmos q tipo de amor nós queremos...
O que eu quero pra mim?
O que eu mereço?
Alguém por inteiro, tranquilo... ou alguém que me faz ter emoções mto intensas, mas está ausente...
As respostas estão em nós mesmas...
No q acreditamos que merecemos...
Afinal, somos resultados das nossas escolhas...
E um relacionamento pode ser mto simples...
Nós é q complicamos, às vezes...
que queremos estórias de novela das 9...
O importante nessa vida é sabermos o que nos faz felizes e então fazermos NOSSAS escolhas... afinal, se sofremos é pq escolhemos (por algum motivo) ter um relacionamento assim...
Por isso, vms viver mais e complicar menos...
Vms estar bem resolvidas e fazer escolhas coerentes...
Assim... talvez possamos amar o improvável, o menos bonito...
mas... o mais carinhoso, o que está mais perto...
nem príncipe, nem bandido...
mas um homem de verdade que combine com a gente...
não é tão cinematográfico, mas é mais real...
eu acho...